Pular Links de NavegaçãoPágina inicial > Notícias

Jornalistas da Globo e editor da Isto É falam para alunos da Faculdade Alfredo Nasser


Para o Professor Alcides Ribeiro o evento foi oportunidade única para quem assistiu

As duas conferências de maior sucesso do Circuito Sebrae de Palestras foram apresentadas na passagem do evento pela Faculdade Alfredo Nasser, na noite de quarta feira, dia 19 de outubro: O Futuro Econômico - Desafios e Oportunidades para Pequenos Negócios e Desafios Extremos. O primeiro tema tem como conferencista o editor geral da Revista Isto É Dinheiro, jornalista Luiz Artur Nogueira e o último é uma conferência realizada em dose dupla, pelos também jornalistas Clayton Conservani e Carol Barcelos, responsáveis pela apresentação do programa Planeta Extremo, da Rede Globo de Televisão. O público alvo eram os acadêmicos dos cursos de Administração de Empresas, Direito e Ciências Contábeis, mas todos os dos demais cursos que quiseram participar do evento, tiveram o acesso livre. Para o diretor geral da Instituição, Professor Alcides a realização foi única e vem de encontro ao ideal de formação universitária praticado pela Instituição: “Os temas são muito contemporâneos e os palestrantes da primeira linha da nova safra de conferencistas brasileiros. Essas duas palestras estão entre as mais assistidas Brasil afora. Nossa prática de formação universitária busca conceitos atuais, que dão aos nossos acadêmicos condições de enfrentar a vida profissional contextualizados não só com os problemas, mas com as soluções e essas duas conferências estão dentro deste conceito” – mostrou o Professor Alcides, ao falar na abertura do evento.

Luiz Artur Nogueira lembrou que as pequenas empresas precisam romper com a prática de esperar soluções vindas do poder público, buscando na criatividade e na inovação a condição de enfrentamento do mercado, com independência, pois agindo assim elas sofrem menos com a variação sociais provocadas pelo comando político nacional: “Nossos políticos, independentemente do partido, têm demonstrado falta de preparo para a condução da nação. Se a inspiração para a gestão do negócio for buscada na gestão política as empresas serão fragilizadas pelas fraquezas dos políticos. Há uma vocação para a corrupção e o desrespeito com o povo e com o setor produtivo. Nossa economia vai de um extremo ao outro muito rapidamente. Vivemos período áureo a partir de 2010, na gestão do Lula. O governo tinha poupança e gastou na hora certa e de forma correta, para intervir na vida econômica do País. Já na era Dilma vivemos o caos. O governo também tinha dinheiro só que gastou mal e na hora errada. O mesmo partido, cometendo erros semelhantes, mergulhado em corrupção levou o País a situações tão opostas. Quem esperou pelo governo também dançou de acordo com a música” – mostra o conferencista, explicando ainda que após o impeachment de Dilma Rousseff havia a esperança que as coisas melhorassem com Michel Temmer, mas a esperança durou pouco: “A escolha da equipe econômica ascendeu a esperança e na verdade a esta equipe tem feito um trabalho acima da média. Esperava mais, mas mais uma vez a corrupção roubou a cena. Até o dia 17 de maio, todos imaginava que a equipe de Temer tivesse moral suficiente para realizar as reformas necessárias para colocar o Brasil nos trilhos. No dia 17 de maio no entanto são publicados os áudios gravados por Joesley Batista, denunciando que a corrupção não havia deixando o poder na presidência da República e o País voltou a viver em crise, sem esperança. É bem verdade que o Brasil é maior do que qualquer governo corrupto, mas a gestão reflete nos negócios. É por isto que a iniciativa privada como um todo e os pequenos negócios precisam ser inventivo e competente para produzir e empreender, sem vínculo com o poder público, pois nunca estamos certos de que estamos livres de uma crise que pode aparecer a qualquer momento” – encerrou o conferencista.

Clayton Conservani e Carol Barcelos mostraram que negócios, das pequenas empresas, no Brasil têm tudo haver com os desafios radicais enfrentados por aqueles que gostam de superar limites, pois a economia nacional é sempre um obstáculo para elas. Mas que isto não pode servir de desmotivação para os empreendedores: “Desafios foram feitos para serem superados. Fugir deles é atitude dos covardes e é preciso lembrar que quando maior for o desafio, maior o mérito da superação” – disse Carol Barcelos, mostrando que a exemplo dos desafios radicais, os desafios do empreendedorismo nacional também necessita de estratégia de luta, foco e preparo para ser coroado de sucesso. Clayton Conservani apontou que a tomada de decisão, o trabalho em equipe, o dom de liderança, a coragem para correr o risco são aspectos fundamentais para os pequenos negócios, mas que com eles e um planejamento bem realizado, alicerçado na realidade, o sucesso é certo: “Não existe vitória sem luta e superação. O empreendedor da pequena empresa é um gerenciador de risco e não raramente de crise. Ele precisa ter capacidade de tomada de decisão e precisa se planejar para o enfrentamento de cada obstáculo do caminho. Não é difícil saber quais serão estes obstáculos, no nosso País. Então é preciso avistá-los antes, saber que eles estarão ali quando seu negócio for transitar naquele trecho e isto faz parte do planejamento. Agindo assim não há dúvida do sucesso do negócio” – finalizou o jornalista.

Mais notícias